Quando minha mãe se foi ( aos 52 anos de idade) eu comecei a escrever – para amenizar e entender a dor que sentia frente à morte – poemas que batizei com o título “No útero de Deus”. Dividi o livro em três fases: Fase do medo, fase da aproximação e fase da entrega. A trajetória desse livro seguiu um caminho independente. Ele foi trabalhado em oficinas de redação e criação literária, pela minha amiga Dyrce Araujo e acabou virando trabalho de conclusão de curso universitário, do hoje professor, ator e um grande e querido amigo, Roberval Rodolfo. A seguir transformou-se em peça teatral que percorreu por dois anos o Vale do Paraíba. Os poemas foram também traduzidos para o russo por Irina Orlova. Até hoje o livro não foi editado. Talvez nem precise mais! Dele, publico para vocês um poema da Terceira fase, da entrega. Saudades, minha mãe! Saudades!

Quero que me cubras
Com terra fresca e fértil.
Flores nascerão de mim
Feito palavras
E transmutada
Em frutos e sementes
Renascerei em ti
Vestida de primavera.
(Ludmila Saharovsky)

Томлюсь мечтою:
Чтоб всю меня
Прохладной,
Плодородною землёю
Покрыли,
Чтоб родились цветы во мне,
Отлитые словами,
И, превращённые
В плоды и семена,
В тебя обратно возвратились.
(Tradução para o russo de Irina Orlova)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
    

    13 pensamentos sobre “

    1. Eva Rossi-Kivimaki ( Via Facebook)

      A alma nunca morre, e eterna e com este poema voce mostra que tambem o corpo continua sua vida, so em formas diferentes. Pensando assim poderia ser natural para nos que somos vivos tratar a natureza e todo planeta com carinho. Um abrazo grande, Ludmila.

    2. Marilena Masiero Paris (Via Facebook)

      Muito lindo o pequeno texto exposto aqui, posso imaginar as 3 fases do livro. Imagino tbm a dor da sua perda: mesmo perdendo mais tarde minha mãe acho que ela ainda foi cedo demais. Minha Avó Rosália foi aos 100 anos e as filhas reclamam até hoje a sua ida!

    3. Lucia Mazzeo (Via Facebook)

      Ai Lu!! Que lindo…não consigo admitir que minha mãe (os ossinhos dela) esteja naquele lugar frio e solitário…seu poema lavou minha alma…” flores nascerão de mim…” é isso, mamãe se transformou em camélias brancas, sua flor preferida. Beijos minha querida e obrigada por isso.

    4. Terezinha C. B. Ataide (Via Facebook)

      Ludmila, você é uma escritora espetacular, sempre que posta algo faz com que a gente sinta na alma, ou no útero!

    5. Dyrce Araújo (Via Facebook)

      Eis aí o lindo e emocionante trabalho da talentosa amiga Ludmila Saharov.
      Obrigada, Lud, por citar meu envolvimento com este momento de sua vida.Beijos.
      Dyrce

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

    Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>