O sonho que me sonha

Imersa no silêncio, respiro o doce aroma das palavras que ainda se abrirão
na manhã que se gesta do outro lado do horizonte,
lá onde as estrelas se acomodam em constelações
e as moiras tecem o destino humano.
Durmo e a noite me absorve, encorpada e lenta.
O céu sorri com sua boca de lua semi aberta, mal se importando com o frio que
congela a rua, a casa, os muros e suas heras, os cães insones e as roupas nos varais.
Dormem também, cansadas, as palavras. Elas que descrevem as sombras…
Não haveria sombras sem a força que permeia as palavras, nem luz, nem sangue, nem poemas.
Como entender a dor do mundo sem palavras?
Ou essa quietude plena, ou o amor?
Durmo e não sei se sonho, ou se o sonho sonha a mim!
(Ludmila)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
    

    5 pensamentos sobre “O sonho que me sonha

    1. Se todos fossem como você
      Que poesia seria viver!
      Palmas e bis.
      Continue feliz por tudo…
      Você é uma estrela e nos aquece com seu ondulado brilho.
      beijo
      Z

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

    Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>