Ilustrações das *volshebnie skazki

Cirin e Alkonost, pássaros da Alegria e da Tristeza de Vasnetsov


Entramos em contato com o mundo físico que nos cerca, através dos nossos cinco sentidos…
E quanto ao nosso mundo psíquico?
Os contos de fada, na visão de Jung, são uma representação simbólica de como enfrentamos os nossos problemas humanos e as possíveis soluções que encontramos. Para Jung certas lendas, mitos e símbolos têm origem na infância da humanidade. Quando, os recursos intelectuais eram limitados, o homem apresentava uma disposição natural para aceitar o sobrenatural. Essa necessidade psicológica, de buscar soluções mágicas, para o que não se conseguia resolver de outra maneira; e de criar seres fantásticos para superar realidades que lhe impunha limitações, possibilitaram à humanidade, um caminhar mais seguro.
“Para dominar os problemas psicológicos do crescimento – separar decepções narcisistas, dilemas edípicos, rivalidades fraternas, ser capaz de abandonar dependências infantis; obter um sentimento de individualidade e de autovalorização, e um sentido de obrigação moral – a criança necessita entender o que se está passando dentro de seu eu inconsciente. Ela pode atingir essa compreensão, e com isto a habilidade de lidar com as coisas, não através da compreensão racional da natureza e conteúdo de seu inconsciente, mas familiarizando-se com ele através de devaneios prolongados – ruminando, reorganizando e fantasiando sobre elementos adequados da estória em resposta a pressões inconscientes. Com isto, a criança adequa o conteúdo inconsciente às fantasias conscientes, o que a capacita a lidar com este conteúdo. É aqui que os contos de fadas têm um valor inigualável, conquanto oferecem novas dimensões à imaginação da criança que ela não poderia descobrir verdadeiramente por si só. Ajuda mais importante: a forma e estrutura dos contos de fadas sugerem imagens à criança com as quais ela pode estruturar seus devaneios e com eles dar melhor direção à sua vida.” Bruno Bettelheim
(ler artigo interessante sobre esse assunto, no endereço:) http://www.liberato.com.br/upload/arquivos/0131010716060516.pdf

Existem inúmeros artigos interessantíssimos sobre essa afirmação, que podem ser encontrados na Internet.
O meu intuito, aqui, é apresentar-lhes alguns grandes pintores russos que se inspiraram em contos de fadas para criar obras maravilhosas. O visual pictórico, complementando a historia, atiça nossos sentidos e nos predispõe para a beleza, a imaginação, a fantasia e o encantamento. As ilustrações povoam nosso mundo de duendes, fadas, heróis, cavalos alados, bruxas canibais, feiticeiros, isbás, castelos, florestas e mares por onde viajamos e nos reabastecemos de força, beleza e coragem para enfrentar as difíceis e monótonas rotinas diárias com seus problemas comuns a todos. Boa viagem!

Ivan Bilibin, ilustração para O galo de Ouro, conto de Aleksandr Pushkin

Vanetsov, O tapete voador

*volshebnie skazki = contos encantados

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
    

    2 pensamentos sobre “Ilustrações das *volshebnie skazki

      • Obrigada, Marcita! Estou entusiasmada com a quantidade de leitores para os contos russos. Tão entusiasmada, que já estou traduzindo outros contos. O problema é que são longos…
        Grande abraço e continue me se refletindo em nosso Espelho.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

    Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>