Contos Mínimos: A colecionadora

Colecionava conchas: Em vidros, potes, colares, adereços, nos mais variados formatos, de diversos tamanhos e procedências. A predileta ficava sempre à mão sobre o criado mudo. Assim, com a chegada da noite, acostumou-se a dormir ouvindo o barulho das ondas ecoando do orifício perolino. A transformação começou lenta. Tênues surgiram as primeiras escamas. Uma pele cintilante envolveu-lhe os membros inferiores. Os pés alargaram-se numa profusão de cartilagens maleáveis. Hoje, a sereia canta feliz em sua banheira, enquanto o dia amanhece… (Ludmila Saharovsky)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
    

    2 pensamentos sobre “Contos Mínimos: A colecionadora

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

    Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>