Tempo Submerso, lançamento

Pessoas queridas!
Ando meio ausente da Net por conta de organizar-me para recebê-los, neste sábado,
em noite de encantamento da amizade, em nosso Museu de Antropologia do Vale, em Jacareí,
para celebrarmos a escrita, a memória, a história.
Até lá, os abraço com carinho e os deixo na companhia de mais um recorte de meu Tempo Submerso…

“Dedushka (avô), de que tamanho é a sua saudade?” Perguntei-lhe um dia, lá atrás no tempo.
“Do tamanho desse punhado de terra” ele me respondeu, abrindo um pequenino pote e segurando alguns seixos e areia em suas mãos.

Movida, então, por essa necessidade interna, eu cravo minhas unhas naquele solo e recolho algumas folhas secas, pequenas pedras, areia fina e as guardo num lenço de papel.
Levanto-me, mas ainda me falta coragem. Começo a caminhar lentamente, tentando aguçar outros sentidos, e, de olhos fechados, revivo momentos de terror.
Momentos em que aquele portão se abria para tantos condenados. Momentos em que, fitando os olhos dos atiradores, sabia-se que a morte era inevitável.
Momentos de agonia, dentro da cova profunda, o ar faltando nos pulmões, o baque da terra sobre os ossos…e depois…Meu Deus! Haveria um depois? Quem sabe o depois seria fazer parte intrínseca dessa floresta, do perfume das sempre vivas, do alarido dos pássaros.
Um toque leve em meus ombros me arranca daquele devaneio. Olhos de um azul límpido me fitam e sorriem.
“Você é a nossa visitante do Brasil?” “Eu a estava observando lá do jardim.”
Vamos entrar. Seja bem vinda a este solo sagrado. Eu sou o padre Kiril.”
(Ludmila Saharovsky)

http://www.ovale.com.br/viver/uma-outra-russia-1.253928

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
    

    4 pensamentos sobre “Tempo Submerso, lançamento

    1. Lindo, Lud…mal posso esperar para ter o meu… Infelizmente, agora com certeza, não poderei estar presente… Sucesso na estréia e Feliz Dia das Mães…
      Cecilia

    2. Exatamente por causa do Dia das Mães ,não foi possível ir ao lançamento de seu livro em Jacareí.
      Confirme a data em São José dos Campos .
      Sucesso,Saudades, e se Deus quiser ,até São José.
      Beijos

    3. Querida Lud, tua escrita transforma a morte em poesia, que lindo! Você sempre me emociona! Sinto o terror, mas com um suave balsamo por tuas palavras; estas como eternas fontes de expressão da alma. Obrigada por dedicar tua vida à tantas outras vidas mortas e finalmente, agora, eternas e livres. beijos e um abraço muito forte com amor. Cris, tua sempre afilhada!

    4. Bom dia!!! Lu

      Eu, como bom virginiano sempre muito crítico, quero dar a você os parabéns pelo seu livro Tempo Submerso, como uma boa poeta e não faço distinção de sexo entre poetas e anjos, adorei seu livro o li inteiro em apenas 4 vezes que o peguei e o recomendo.
      Tempo Submerso tem seu lado poético que mostra que mesmo um governo opressor seja ele de direita ou de esquerda não pode e não conseguiu deixar amarga um pessoa tão meiga como você.
      Eu fiquei emoconado ao ver que tanta violênicia e você sendo uma sobrevivente deste terror, consegue ser esta linda pessoa. Agradeço a você por ter me dado este prazer da saber um pouco da sua história de vida.
      bjo imenso no seu coração,
      José Eduardo
      (via facebook)

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

    Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>