Silêncio


Silêncio.
Nutro-me do silêncio.
Mergulho em suas profundezas, onde águas abissais envolvem-me e me sustentam com suas liquefeitas asas.
Algas, medusas, corais e seixos compõem este cenário suspenso, enquanto milhares de olhos me espreitam e brilham feito estrelas, feito nebulosas na calma imensidão do Eterno. Tudo se reduz ao lento exercício de intuir o além, que se estende e se alonga, infinito…
Silêncio.
Nenhuma voz a me enviar mensagens, nem som algum, qualquer aragem. Apenas essa cor azul cobalto, que me embala com suas ondulações mornas e lenientes.
E, de repente, uma pedra atirada rompe o encanto. Rompe os círculos concêntricos do útero marinho que me contem, que me isola nesse breve instante no qual concentra-se a existência.
Um ruído oco e tudo se desfaz!
Meu grito rompe o silêncio, enquanto o útero do tempo me devolve à vida!
(Ludmila)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
    

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

    Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>