Balancete literário

Eu estava pensando em fazer uma relação dos títulos instigantes que li em 2011 para recomendar a vocês, mas achei mais interessante fotografar.
A esses títulos devo acrescentar alguns que li e ficaram em Jacareí:
Nem água nem lua de Osho
O anjo e o resto de nós de Letícia Wierzchowski (adorei e comentei neste site)
Marina de Carlos Ruiz Zafón (o mesmo autor de A sombra do vento) que adorei
A menina dos Vagalumes de Rita Elisa Sêda e Sônia Gabriel, (pesquisa sobre a vida e obra da escritora valeparaibana Eugênia Sereno)
Reli o Quando a casa dorme, de Dyrce Araújo para escrever o prefácio à segunda edição
mais os livros de poesia:
Íspoved (Confissão) de Anna Ahmatova, edição russa
e Oráculos de maio de Adélia Prado
Isso sem contar um livro do qual nunca me separo:
Mulheres que correm com os lobos de Clarissa Pinkola Estés
quem quiser ler o livro pela Net, aí vai o linc para acessar a obra em pdf
http://veterinariosnodiva.com.br/books/MULHERES_QUE_CORREM_COM_OS_LOBOS.pdf

Recomendo todos!
(Ludmila)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
    

    12 pensamentos sobre “Balancete literário

    1. (via e-mail) Silvia Guasti para mim

      Querida Ludmila, seus email são sempre muito queridos, seu blog é demais.
      Quero te desejar um 2012 muito produtivo e com muitas coisas boas.Que você continue a nos encantar com seus textos e suas lindas e sensiveis imagens.
      Um grande beijo com carinho
      Silvia

    2. (via e-mail)
      Fabiano Mauro Ribeiro para mim

      Olá! Livro que me despertou algo de novo, foi o “ 1808”(Como uma Rainha louca, um principe medroso e uma corte corrupta enganaram Napoleão e mudaram a Historia de Portugal e do Brasil) do Laurentino Gomes – embora não tenha uma consistencia de livro histórico exagerada , e seja uma linguagem meio à moda Veja/Isto é, é um documento que sugere como uma origem de tudo, começando eivada de êrros, pode persistir como fundo musical de um país, até sua idade madura – o mesmo autor, fez a seguir, o “1822” cobrindo uma etapa seguinte ao Império,e Proclamação da República – mas ainda não li. abraço!

    3. (via e-mail)
      Clovis Oliveira para mim

      Entre os que li em 2011, devo destacar dois:

      Segundas intenções, de Nilton Bonder. Penso ser melhor lê-lo após a leitura de A alma imoral, do mesmo autor.

      Joseph Fouché, de autoria de Stefen Zweig. Sensacional!

      besos

    4. Ludmila, fico feliz que tenha lido “A Menina dos Vagalumes”, pois é um livro denso, sei que leu, também, “O Pássaro da Escuridão”, para se inteirar do assunto. Você é mesmo culta, brilhante amante da literatura. Pois os livros que recomenda são ótimos. Sempre presenteio minhas amigas com “Mulheres que correm com os lobos”, leio e releio quase todos os livros da Clarissa Pinkola Estés, dentre eles “O Jardineiro que tinha fé”. Foi inspirada em Clarissa P. E. que fiz em meu sítio um lugar especial onde há fogueira, bancos de madeira e água corrente, cantinho mágico onde recebo os familiares e amigos para uma boa prosa e, é claro, deixo um lugar vago para que o ancestral venha soprar “estórias” através do vento.
      Há um ano estive em sua casa e lhe disse meus sonhos, dentre eles, para o ano de 2011 foi esse sítio e creia, minha amiga, estou feliz.
      Desejo a você e família tudo que existe de melhor na vida.
      Felicidades e a paz!

      • Querida Rita Elisa.
        Consegui O pássaro da escuridão garimpando em sebos, assim como a primeira edição do Água Funda de nossa querida Ruth Guimarães.
        Devorei o Pássaro da escuridão viajando nas histórias, causos e o tempo mágico descritos, desse fundo de nosso Vale, do século passado, deliciando-me com sua escrita. Quando você lançou o A menina dos vagalumes, resgatando a vida e o universo de Eugênia Sereno, foi um presente ímpar para a literatura brasileira. Fico feliz que tenha conseguido realizar seus sonhos. Você é uma pessoa iluminada e merece brilhar! beijo com carinho! Lud

    5. (via e-mail)
      Oi mimosa… tentei colocar no site uma mensagem, mas não sou boa nisso (e também não faço esforço para ser! Sou feliz assim mesmo!) então quero registrar meu agradecimento pelas dicas e sugerir que leias um outro livro de OSHO que é simplesmente uma delícia: O HOMEM QUE AMAVA AS GAIVOTAS (Editora Versus, 2004)

      Para mim o pensamento dele é uma fonte de inspiração contínua… Olha só:

      […] a vida só é possível através dos desafios. A vida só é possível quando você tem tanto o bom tempo quanto o mau tempo;
      Quando tem prazer e dor; quando tem inverno e verão, dia e noite; quando tem tristeza tanto quanto felicidade, desconforto tanto quanto conforto.
      A vida passa entre essas duas polaridades, movendo-se entre essas duas polaridades você aprende a se equilibrar.
      Entre essas duas asas você aprende a voar até a estrela mais distante.

      Beijocas

      Maria Mirta

    6. (via e-mail)
      Querida Ludmila,
      Agradeço de coração sua consideração.
      Eu também consegui todas as edições de O Pássaro da Escuridão, inclusive três da mesma edição mas que têm autógrafos diferenciado, em sebos pelo Brasil a fora.
      Tenho a primeira edição de todos os livros da dona Ruth, todos autografados. Água Funda conta a história de Catarina, mulher que ficou tantan lá pelos lados de Maria da Fé e Santa Rita do Sapucaí. Eu converso muito a respeito dessa figura ímpar com dona Ruth, pois eu conheci alguns personagens que ela colocou no romance. Gosto muito do Filhos do Medo, onde dona Ruth explora o núcleo folclórico nacional. Para nós que gostamos de folclore é um livro importantíssimo.
      Fiz uma relação de mais de 3000 locuções culturais em termos caipiras e expressões folclóricas garimpadas página a página em centenas de lidas e relidas de O Pássaro da Escuridão. Muitos literatos têm me pedido para publicá-los, já que fiz uma vasta pesquisa e consegui desvendá-los. Esse é um trabalho para o ano de 2012, pois precisamos resgatar algumas expressões culturais que estão se perdendo por causa da era da informática. Fica aqui uma idéia para você analisar.
      Rita Elisa

    7. Pois então, Rita Elisa, tantas obras importantes da literatura, de escritores Valeparaibanos, e a gente só os encontra em sebos. Porque será que as editoras não os re-editam?
      Dona Ruth foi incensada e comparada à Guimarães Rosa, quando do lançamento de Água Funda, e o livro não está disponível para os novos leitores. Uma lástima!

    8. (via e-mail)
      Precisamos fazer algo que favoreça essas reedições. Veja bem, sairá em 2012 a nova edição de O Pássaro da Escuridão, a editora entrou em contato e me informou a este respeito. Isso porque o enfoque que demos ao romance quando escrevemos A Menina dos Vagalumes repercutiu nacionalmente.
      Dona Ruth tem fama, ela é um tesouro valeparaibano, a editora Nova Fronteira fez uma boa tiragem com capa lindíssima há pouco tempo, mas está esgotado o livro. Sairá nova edição, em breve.
      Sempre que vou para a casa de minha filha passo na casa de dona Ruth para um dedinho de prosa. Ela é muito sábia e me ajudou com ensinamentos para uma vida toda. Já levei vários amigos até a casa dela porque devemos compartilhar amizades. Uma das coisas que ela me ensinou.
      Amanhã cedo passarei por lá.
      Beijos, felicidades e a paz!
      Rita Elisa

    9. Pois seja portadora, por favor…de meu abraço, minha consideração e meu carinho para com D. Ruth!
      Beijão, querida…e uma invejinha, sem maldade, desse seu passeio!
      Lud

    10. (via e-mail)

      Ludmila,
      achei ótima sua iniciativa, embora eu ande lendo muito pouco, pois chego muito tarde do consultório e aí a vista não ajuda, rss… Mas estou lendo vagarosamente”1808″, de Laurentino Gomes, e estou gostando muito porque mostra um lado que os livros históricos normalmente não consideram: o perfil psicólógico das pessoas em questão. Isso faz com que vc realmente possa avaliar os dilemas, dúvidas e fraquezas que pesam nas decisões dos líderes; mostra-os como seres humanos, nào apenas personagens com poderes, mas também com medos, dificuldades e pressões psicológicas pessoais e familiaes. É muito interessante a forma como foi escrito, vc se sente dentro da história, parte dela. Não cheguei nem a metade ainda, como lhe falei pela dificuldade de pegar com afinco, mas recomendo sem hesitação.
      Sugiro que vc coloque no seu blog, que por sinal é muito interessante, também sugestóes de filmes. Um beijo, Helenita

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

    Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>