A princesa rã (final)

Pela manhã, enquanto tomava o desjejum preparado pela bruxa, Ivan Tsarevich contou-lhe a sua triste história. BabaYagá foi toda ouvidos, e, ao final, disse:
“Você está com muita sorte, Ivan Tsarevich!”
“Kashey , O Imortal é meu velho inimigo!” “Temos uma rixa que já dura há séculos, e eu vou ensinar-lhe como ele poderá ser derrotado.” “Eu usarei você para levar avante a minha vingança, e você conseguirá a sua Vassilissa como prêmio!” “ Estamos combinados?”
Ivan Tsarevich aceitou, de imediato, a proposta da bruxa.
Ah! Baba Yagá era muito esperta! Não foi à toa que ela recebeu Ivan Tsarevich em sua isbá dançante, com tanta consideração: banho quente, cama de penas, mesa farta… Nem parecia a bruxa terrível que conhecemos!
“Ouça bem o que vou revelar-lhe!” segredou ela com sua voz de taquara rachada:
“A morte de Kashey está na ponta de uma agulha.”
“A agulha está dentro de um ovo.”
“O ovo está dentro de uma garça.”
“A garça está no coelho.”
“O coelho está num antigo baú.”
“O baú está pendurado no galho mais alto de um velho carvalho.”
“O carvalho está no cume de uma montanha.”
“A montanha é tão íngreme, que não se pode escalar.”
“E o próprio Kashey a vigia dia e noite, com seu espelho encantado!”
“Ah! E tem mais um detalhe: “na base do carvalho mora uma serpente de três cabeças, que precisa ser derrotada!”
“Ah, Baba Yagá! Agora entendo porque Kashey é Imortal. È impossível chegar a esse carvalho!”
“Aí é que você se engana, meu caro jovem!” Só eu sei como chegar a ele!”
Baba Yagá foi até o fundo da floresta e voltou com um garboso cavalo branco, que tinha um par de asas maravilhosas. “Aqui está meu Cavalo Alado.” “Ele o levará até o topo da montanha.” “Depois disso, é com você!”
Ivan Tsarevich agradeceu à bruxa, montou no Cavalo Alado, que voou com o príncipe em direção à Montanha de Kashey Besmertniy!
O velho feiticeiro acompanhava todo o movimento através da imagem cristalina de seu espelho mágico. Ele ficou furioso quando percebeu que Ivan Tsarevich aproximava-se de sua montanha pelo ar! “Ah! Aquela Velha Bruxa Insuportável! Ela que aguardasse!”
“Ri melhor quem ri por último!” vociferou!
Ensandecido, Kashey correu aos aposentos de Vassilissa e, tocando nela com seu condão, transformou-a imediatamente numa estátua de ouro. “ Por via das dúvidas”…pensou!
Correu então à Sala do Espelho para apreciar sua serpente dar cabo de Ivan Tsarevich.

O príncipe lutava bravamente contra o Monstro. O cavalinho alado voava de um lado para outro, numa velocidade que deixava as cabeças da serpente meio tontas! Enfurecida, ela soltava chamas imensas pela boca, mas, o cavalo, mais ágil e veloz, conseguia escapar e partir para nova investida, de um lado completamente inesperado! Assim, o príncipe conseguiu decepar, uma a uma as cabeças do monstro, até que enfiou sua espada bem no meio de seu coração e o matou!
Uma nuvem negra cobriu a Sala do Espelho, e Koshey soltou um urro de dor ensurdecedor!
Ivan Tsarevich, agora, empenhava-se em derrubar o carvalho, mas, sua força era insuficiente. Nisso, apareceu a mamãe ursa, que ele havia poupado de matar, lá no meio da história, que lhe disse:
“Estou aqui para ajudá-lo, caro príncipe, conforme prometi!” O animal, enorme, jogou o peso de seu corpanzil contra o tronco do carvalho, que não resistiu e se quebrou. Nesse instante, o baú que estava dependurado sobre seu galho mais alto, soltou-se das correntes que o continham e espatifou-se no chão. Dele saiu o coelho correndo mais que as pernas, então apareceu a loba, que Ivan deixara viver e caçou o coelho. Nesse momento, o coelho transformou-se numa garça e saiu voando para o céu. Então, surgiu a águia que matou a garça e o ovo, dentro dela, foi caindo…caindo…e caiu dentro do lago, afundando em seguida!
_”Ai, ai ai…”lamentou-se-se Ivan Tsarevich, desolado!
“Mas que triste a minha sina!” “Depois de conseguir chegar ao topo da montanha, derrotar a serpente, derrubar o carvalho, quebrar o baú, matar o coelho, caçar a garça e liberar o ovo, agora eu fui perdê-lo na água!”
Nisso, quem é que surge, das profundezas do lago, trazendo o precioso ovo dentro da boca? O peixe, cujo filhote Ivan Tsarevich libertou da rede!
“Aqui está seu ovo, meu príncipe!” “Eu não disse que lhe seria útil se me ajudasse?” “Promessa é dívida!”
Enquanto tudo isso se passava, Koshey Besmertniy, reunido ao seu séqüito de aves de rapina, preparava-se para voar até onde estava Ivan Tsarevich para matá-lo e recuperar seu precioso ovo, que lhe garantia a imortalidade. Ele mesmo transformou-se num enorme urubu rei, com coroa de ouro e tudo, e partiu voando com seus pares, em direção à beira da lagoa, onde Ivan Tsarevich não conseguia quebrar o ovo, por mais que se esforçasse: Jogou-o ao chão, pisou nele com toda a força de suas botas, tentou partí-lo com sua espada, esmagá-lo com uma pedra…Nada! O ovo era inquebrável!
Foi quando veio em seu auxílio, o filhotinho de águia, que também havia prometido ajudá-lo, vocês se lembram?
“Ivan Tsarevich…Você está fazendo tudo errado!” “ Não é assim que se abre um ovo”
“Eu tenho experiência no assunto, afinal, tive que abrir o meu para nascer!” “Deixa-me quebrá-lo para você!”
E, com uma bicada precisa no lugar certo, o ovo partiu-se, revelando em seu interior, uma fina agulha de ouro!
Foi o tempo exato! Mal Ivan Tsarevich conseguiu amarrar a agulha na ponta de sua seta, e já uma nuvem negra aproximava-se de nosso herói, a uma velocidade enorme! Quando seus olhos acostumaram-se à escuridão, Ivan pode perceber que era um bando gigantesco de urubus que voava em sua direção, comandado pelo mais repelente deles, que voava à frente, com uma coroa de ouro na cabeça!
Ivan Tsarevich não teve dúvidas! Mirou e atirou sua seta com a agulha de ouro na ponta, que foi certeira, cravar-se bem no coração do urubu rei.
Quando caiu no chão, não era mais a ave de rapina que agonizava, mas o próprio Kashei Besmertniy que se desvanecia numa fumaça negra, enquanto todos seus urubus caíam mortos, forrando as águas do lago com seus corpos inertes!
Ivan Tsarevich, finalmente tinha acabado com Koshey!
Com sua morte, ruíram os portões de seu castelo, e todas a plantas, animais e pessoas enfeitiçadas, transformadas pelo feiticeiro em estátuas de ouro, começaram a voltar à sua forma original. Assim também Vassilissa, foi aos poucos saindo de sua inércia de estátua e adquirindo as formas da linda princesa que ela era.


Em pouco tempo, Ivan Tsarevich atravessou os escombros do palácio e colocando a sua Vassilissa montada no Cavalo Alado, voaram juntos para o reino de seu pai, onde viveram felizes por muitos e muitos anos, enchendo os jardins do palácio com lindos filhos para o deleite do Tzar.
E assim termina essa história, que entrou por uma porta, saiu pela outra e quem quiser que conte outra. (Ludmila Saharovsky)

(Esse conto de fadas russo foi recontado por mim, de memória. Peço a todos que quiserem apropriar-se da história, que, por gentileza, mantenham meus créditos. E também os créditos das belíssimas ilustrações, que são dos pintores russos, Ivan Bilibin e Victor Vasnetsov, feitas no início do século passado. Um grande abraço, obrigada a todos vocês pela leitura, pelos comentários e até a próxima fantasia… Beijos! Ludmila)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
    

    11 pensamentos sobre “A princesa rã (final)

    1. Que final maravilhoso! É sempre bom lermos as histórias que já conhecemos. Cada vez um detalhe a mais nos cativa.
      Beijos,
      Livingstone

    2. Que contos geniais!!!
      Uma vez vi uma entrevista com a Elke Grunnupp (Elke Maravilha) e ela falou dos contos infantis russos, desde então sempre lembrava de procurar quando estava longe da internet. Hoje fui abençoado com este site. Melhor que o conto somente o carinho com que a Elke divulgou essa pérola e o carinho e amor com que você os contou aqui!!!
      Parabéns Ludmila, obrigado pelo site.
      Até.

      • Obrigada Júlio, pela leitura, pelo carinho. Os contos de fada russos, realmente, encantam crianças de todas as idades, especialmente,
        aquelas que ainda vivem em nós! Grande abraço!

        • Me encantaram sim, e a minha criança também, aliás essa criança que me trouxe aqui e me trouxe de novo, acabei de reler a história, mantive os créditos..rsrs

          Só não descrevi as imagens, a li pelo telefone, para uma pessoa especial por demais na minha vida que mora ai no RS, na próxima as descreverei. Muito bacana as outras publicações também, um abraço!!

    3. Bom dia, Lu. Eu vi a 20 anos atrás um vídeo na tv cultura com a história da princesa rã e me cativou de tal forma que gravei cada item do conto, meu sobrinho, Renan, na época uma criancinha de 4 anos foi contaminado pelo conto, pois toda noite me pedia para contar a mesma história. Hoje com o advento da internet recuperei todo o conto de fadas e compartilhei com ele, que hoje é um universitário, um rapaz maravilhoso e com minha filha e mais sobrinhos, pois os contos russos são muito bons. Realmente merecem o nome CONTO DE FADAS, parabéns pelo site, como mãe gostei. Um abraço. Bianca

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

    Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>