Academia Joseense de Letras


A poesia e a prosa de Dyrce Araújo, agora imortal!

Salmo Eterno (Dyrce Araújo)

Quero teu amor,
Pastor do meu corpo,
E a calma de tuas mãos
Apascentando minhas fantasias
Em verdes vales
Quero estar contigo
Habitarei teus sonhos
E, estou certa,
Nada me faltará.

Alquimia (por Dyrce Araujo)

Oi, você aí que vai passando ao largo, dê um tempo e chegue aqui. Entre, não faça cerimônia e venha pra cozinha. Adoro conversar na cozinha. Sala é pra visita e você, claro, já é da casa.
Cozinha é mais chegada, abre o coração, acolhe, conforta, protege e todo mundo vira amigo de infância na cozinha. Ela tem assim um buquê de perfumes que nos tomam de surpresa e dão água na boca de repente.
Então, estou aqui fazendo umas comidinhas e, entre um pouco de manjericão e cebolinha, me peguei pensando no amor que minhas mãos transmitem nesta alquimia de cozinhar. Aliás, o amor é uma química, uma alquimia entre as pessoas.
Entre os enamorados, o amor passa pelo teste da química. Quem nunca se pegou dizendo “é não rolou ,não deu química, sabe como é?” Sabemos como é,claro.”
Algum ou todos os sentidos não responderam. Ou foi o beijo que não tinha
mel, ou sal ou pimenta (aí vai do gosto de cada um),ou foi a
pele que não se arrepiou na hora certa, ou o cheiro que não bateu legal.
Mas muitas e tantas vezes a alquimia é total e se misturam o gosto, o cheiro, o olhar, o toque e os apaixonados brilham, seus corpos pegam fogo e se sentem deuses e deusas.
A questão aí é não deixar o fogo alto, virar o botão pra fogo baixo pra não evaporar rápido demais,não ficar queimado e não tostar pra não deixar um gosto amargo no fim…
É como cozinhar, sabe? Tudo tem seu tempo: a cebola tem um tempo de fritura, o alho é delicado e não pode queimar. Vai bem um cheiro-verde, um bom azeite pra deixar tudo perfumado e o ponto certo, que é diferente pra cada um.
Então, faça você a sua alquimia: leve seu amado, sua amada pra cozinha, deixe no ar o perfume quente de um cafezinho.Tenha nas mãos um pouco de fogo para aquecê-los e vá acrescentando os temperos que achar melhor. Com leveza e amorosamente.
Boa sorte e até mais. (Dyrce Araujo)

Dyrce Araújo, grande poeta e querida amiga, será empossada na Academia Joseense de Letras, que será reativada em Seção Solene, na próxima segunda feira, dia 25 de outubro, abrindo as comemorações da Semana Cassiano Ricardo.
Dyrce é uma dessas pessoas que entram em nossa vida para nos ensinar o verdadeiro sentido da amizade, em sua vibração plena de fraternidade, cumplicidade, paciência,
dedicação, amor e alegria. Dizem que os amigos curam. Não! Eles fazem muito mais: eles nos ressuscitam! Te amo, amiga, e te desejo um percurso pródigo nesse caminho, agora, de imortal. Minha alma está em festa! Acrússias para sempre! (Ludmila)

Breve Currículo: Dyrce Araújo nasceu no Acre, é geminiana, mãe, avó, educadora, poeta, palestrista, vive e respira literatura há várias décadas em SJCampos. Dirigiu a Biblioteca Pública Cassiano Ricardo, produziu as várias antologias para a Fundação Cassiano Ricardo e criou, entre outras atividades culturais, o Pão com Palavra. Foi diretora de cultura da Fundação Cultural de Jacareí. Dentre suas obras publicadas destacam-se os livros de poesia: Quando a casa dorme, Pecado Imortal, Sagrada Paixão, e a antologia Mulheres de São José. É verbete no O Dicionário Crítico de escritoras Brasileiras de Nelly Novaes Coelho,crítica e doutora em Literatura -USP-SP.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
    

    2 pensamentos sobre “Academia Joseense de Letras

    1. Dyrce querida amiga! Fico muito feliz pelo seu ingresso na Academia Joseense de Letras que é mais do que merecido. Tenho muito orgulho de você…Parabéns minha amiga.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

    Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>